Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
  •  -
  • Vereadores
    ADMINISTRAÇÃO 2017-2020
    Presidente Atual
Próxima Sessão

LINHA 1
LINHA 2
LINHA 3
LINHA 4
Data: 26/04/2013 Hora: 00:00:00
TEODORO SAMPAIO
Webline Sistemas

TEODORO SAMPAIO

 

         Teodoro Sampaio ocupa terras que faziam parte da grande Fazenda Cuiabá. Com área de 28.341,8 alqueires, a Fazenda Cuiabá teve como primeiro proprietário José Teodoro de Sousa.  Após passar por sucessivas vendas, ocorre, em 20 de maio de 1925, a divisão judicial da Fazenda Cuiabá, que foi partilhada em três quinhões. Em junho de 1940, o Coronel José Pires de Andrade, proprietário de fazendas na região de Marília, veio com uma comitiva, conhecer as terras do 1º quinhão da Fazenda Cuiabá. Naquele tempo, chegar até a Fazenda Cuiabá era muito difícil. As poucas estradas existentes eram estreitas e quando se adentrava nas matas havia somente picadas.  Em 09 de agosto de 1949, parte do 1º quinhão da Fazenda Cuiabá, 1.200 alqueires, foi adquirido pelo Coronel José Pires de Andrade, que nomeia o seu filho, José Miguel de Castro Andrade, e o administrador de sua fazenda em Marília, Odilon Ferreira, como procuradores diretos da Fazenda Cuiabá.

         Aos 25 de setembro de 1949, deu-se início à demarcação da Fazenda Cuiabá, tendo como marco zero a margem direita do ribeirão Cuiabá, na foz com o rio Paranapanema. José Miguel de Castro Andrade (conhecido por “Seu Pires”) e Odilon Ferreira organizaram uma firma Colonizadora Imobiliária e ao pensarem no nome que deviam dar à firma lembraram o de Theodoro Fernandes Sampaio, engenheiro que fez a primeira expedição científica no rio Paranapanema, em 1886. Em 18 de outubro de 1950 é fundada a Organização Colonizadora Engenheiro Theodoro Sampaio, com escritório em Marília (SP). A venda de sítios e lotes na Fazenda Cuiabá iniciou-se alguns meses antes da constituição da Colonizadora. Além da compra de sítios, os compradores adquiriam também lotes no futuro patrimônio de Theodoro Sampaio.  Gedeão Soares Cavalcanti foi o primeiro administrador da Fazenda Cuiabá. 

         A penetração por picadões e estradas primitivas não impediu que chegassem, a partir de outubro de 1950, os primeiros sitiantes à Fazenda Cuiabá: José Amador e Emílio Troiani com as suas famílias. Os pioneiros se estabeleceram nas proximidades do ribeirão Águas Claras e Córrego Seco e dedicaram-se ao cultivo de café, algodão, arroz, amendoim, milho e à extração de madeiras. A chegada e a fixação das famílias em suas propriedades foram marcadas por muitas dificuldades devido à inexistência de boas estradas (só havia picadas), a mata fechada e cheia de animais perigosos, a falta de infra-estrutura, como iluminação, abastecimento d’água, serviços médicos e estabelecimentos comerciais. 

          Em 07 de Janeiro de 1952, José Miguel de Castro Andrade e Odilon Ferreira fundam a cidade, que recebeu o nome de Engenheiro Theodoro Sampaio. Durante muitos anos o nome Teodoro era escrito com “th”, mas com o tempo, acabou sendo grafado sem “h”. As duas primeiras ruas traçadas na cidade receberam os nomes de Cuiabá e Paranapanema (atual Avenida Manoel Guirado Segura). Surgem as primeiras casas em Teodoro Sampaio, sendo elas, a casa de Gedeão Soares Cavalcanti, em 1953, que serviu também como armazém (local onde se localiza atualmente o Banco Santander) e a pensão de propriedade de Evaristo Nunes Pereira Filho, conhecido por “Escoteiro” (na atual Avenida Cuiabá n° 1.420). A Pensão do Escoteiro era freqüentada pelos compradores de lotes e sítios.

    O nome da cidade, Teodoro Sampaio, foi dado em homenagem ao engenheiro que fez o primeiro levantamento geográfico do Pontal do Paranapanema, em especial, sobre o rio Paranapanema, em 1886. Engenheiro Civil de formação acadêmica, Theodoro Fernandes Sampaio exerceu diversas atividades ao longo de sua vida, tais como escritor, geógrafo, geólogo, cartógrafo, topógrafo, urbanista, historiador, filósofo, etnólogo, tupinólogo, arquiteto, professor, sociólogo, político, empresário, sanitarista e desenhista. Como escritor, escreveu vários livros, entre eles o Tupi na Geografia Nacional (1901) e o Rio São Francisco e a Chapada Diamantina (1905). Theodoro Fernandes Sampaio nasceu em 07 de janeiro de 1855, no distrito de Bom Jardim, atual município de Teodoro Sampaio, na Bahia. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro em 15 de outubro de 1937, aos 82 anos de idade. Da humilde condição de filho de uma escrava, Theodoro Sampaio viria a colocar-se honrosamente na galeria das grandes personalidades brasileiras de todos os tempos.

 

         O distrito de Teodoro Sampaio é criado em 18 de fevereiro de 1959, pela Lei n° 5.285, fazendo parte do município de Marabá Paulista. A instalação do distrito de Teodoro Sampaio ocorre em 03 de abril de 1960, quando foi instalado também o Cartório de Registro Civil e Tabelionato de Notas, tendo como seu primeiro Tabelião, o Sr. Jordão Bruno D’Incao.  Em 1961 inicia em Teodoro Sampaio, o transporte de cargas no ramal de Dourados, da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), que depois, em 1971, passou a ser FEPASA – Ferrovias Paulistas S.A. Em 1980 ocorre a desativação do ramal de Dourados.

    O município de Teodoro Sampaio foi criado em 28 de fevereiro de 1964, através da Lei nº 8.092. A primeira eleição municipal ocorreu em 07 de março de 1965, sendo eleitos o prefeito José Natalício dos Santos (Natal) e o vice Pedro Ginez Abellan.  A posse do prefeito e da primeira Câmara Municipal ocorreu em 21 de março de 1965, data em que se comemora o aniversário de emancipação político-administrativa do município. A primeira Câmara Municipal estava assim constituída: Jotahyr Ribeiro (Presidente), José Carmo de Oliveira, Nazário Martins dos Anjos, Pedro Ribeiro de Souza, Aparecido Neves, José Miguel de Castro Andrade, Lucídio Caldeira, Paulo Silveira e Salvador Moreno Munhoz.

    Com 2.872 km², Teodoro Sampaio era, até 1990, o maior município do Estado de São Paulo em área territorial e era constituído pela sede do município, Teodoro Sampaio, e os distritos de Rosana (incluindo a cidade de Primavera), Euclides da Cunha Paulista (incluindo o bairro rural de Santa Rita do Pontal) e Planalto do Sul. Em 05 de novembro de 1989, realizaram-se os plebiscitos sobre a emancipação dos distritos de Rosana e de Euclides da Cunha Paulista. A criação dos dois municípios foi através da Lei n.º 6.645, de 09 de janeiro de 1990 e instalados em 1º de janeiro de 1993.

 

         Atualmente, o município de Teodoro Sampaio está com a seguinte formação: Teodoro Sampaio (sede), Planalto do Sul (distrito criado em 27/12/1985), bairros rurais (Águas Claras, Córrego Seco, Alcídia, Cafezinho, Agrovila Emígdio Furlan – Varjão) e 22 assentamentos.

    Na eleição municipal de 2012, foram eleitos o prefeito Ailton César Herling, o vice-prefeito Lucidi Polegatto e os vereadores Antonio Newton Ramos de Paula (Toninho), Claudecy Antonio dos Santos (Kito), Claudio Evangelista da Silva (Poceiro), Edilson José Rodrigues, Erivaldo Alves de Almeida (Babau), Genivaldo Alves dos Reis, Gilberto Manoel de Brito, Luiz Eduardo Pereira Junior, Pedro Caminhoto Neto, Rosemiro Batista de Moura e Sérgio Adriano Martins. Edilson José Rodrigues é o atual Presidente da Câmara Municipal.

 

DADOS GEOGRÁFICOS

 

    Área: 1.556 km², sendo atualmente o 8º município do Estado de São Paulo em extensão territorial.

    População: 21.386 habitantes (Censo 2010).

    Localização: O município está situado no oeste paulista, região conhecida por Pontal do Paranapanema, fazendo parte da 10ª Região Administrativa de Presidente Prudente.

    Altitude: A cidade de Teodoro Sampaio se encontra a 352 metros acima do nível do mar. A maior altitude do município é o Morro do Diabo, com 599,5 metros.

 

    Economia

 

          As primeiras atividades econômicas de Teodoro Sampaio foram a cotonicultura (cultura do algodão), a cafeicultura e a extração de madeiras, com a instalação de várias serrarias. Os principais fatos que contribuíram para o desenvolvimento econômico do município foram a implantação do ramal de Dourados da Estrada de Ferro Sorocabana (década de 60), da Destilaria Alcídia (década de 70), das três usinas hidrelétricas, Taquaruçu, Rosana e Porto Primavera (década de 80); da implantação de assentamentos de reforma agrária (a partir da década de 90) e a expansão e a modernização do setor sucroalcooleiro, com a aquisição da Destilaria Alcídia pela ETH Bioenergia, em 2007 (atual Odebrecht Agroindustrial). Em 2013, a economia estava baseada na agropecuária (cana-de-açúcar e bovinos), na produção de açúcar VHP, etanol e energia (Alcídia), laticínios, cerâmicas e o comércio. Instalada em 1976, a Alcídia, maior empresa do município, foi a pioneira do Proálcool - Programa Nacional do Álcool, instituído em 1975.

 

 

   Turismo

 

              O Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil, do Ministério do Turismo, definiu, junto com os Estados, as Regiões Turísticas no país e seus municípios, estabelecendo assim, o Mapa da Regionalização do Turismo em 2009. No Estado de São Paulo foram definidas 34 Regiões Turísticas. Teodoro Sampaio faz da Região Turística Pontal Paulista, sendo um dos municípios do Circuito Turístico Oeste Rios. O maior atrativo turístico de Teodoro Sampaio é o Parque Estadual do Morro do Diabo. A pesca também é uma atividade bastante procurada e as possibilidades são inúmeras nos rios Paraná e Paranapanema.

        Principal atração turística do município, o Parque Estadual do Morro do Diabo preserva o que sobrou da vegetação nativa de Mata Atlântica no Pontal do Paranapanema. O Parque dispõe de Centro de Visitantes, Museu Natural, trilhas interpretativas monitoradas e hospedaria destinadas a apoiar as atividades de pesquisas, educação ambiental e ecoturismo. A sede do Parque está situada a 11 km de Teodoro Sampaio pela Estrada Vicinal Rubens Carlos Herling (SPV-28). O Centro de Visitantes é o local onde o visitante recebe as orientações e informações sobre os aspectos históricos, ecológicos e culturais bem como o roteiro das atividades. O Museu possui espécimes da fauna taxidermizados, maquetes e artefatos indígenas encontrados no Parque. O ponto alto da visita é percorrer as trilhas ecológicas existentes no Parque (do Morro do Diabo, do Lago Verde, do Arboreto, Barreiro da Anta, do Paranapanema, das Perobeiras, Pedro Bill, Ferrovia – Angelim, da Cavalgada e das Cotias).

            O Parque Estadual do Morro do Diabo é a área natural de maior importância a ser preservada em todo o interior do estado de São Paulo. Localizado no município de Teodoro Sampaio, o Parque possui uma área de 33.845,33 hectares. Criado em 29 de outubro de 1941, através do Decreto n.º 12.279, com o nome de “Reserva Florestal do Morro do Diabo”, passa à categoria de Parque Estadual em 04 de junho de 1986, através do Decreto n.º 25.342. O Parque apresenta uma riquíssima biodiversidade, contendo várias espécies, como por exemplo, o mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus), um dos primatas mais ameaçados de extinção do mundo.

 

(*) Fonte: Memorial Teodoro Sampaio, autoria de João Maria de Souza, Professor de Geografia e Secretário da AEITS (Associação de Escritores e Ilustradores de Teodoro Sampaio).

 

 

Descrição: Descrição: D:\francielli\2013\Comunicação\Banco de imagens\brasão.jpg

Você sabe o significado do Brasão de Teodoro Sampaio?

 

Brasão das Armas Municipal tem a seguinte interpretação: Escudo ibérico,

usado em Portugal na época do descobrimento do Brasil. O metal prata do campo

do escudo, assim o de outras peras heráldicas adotadas, termo significado da

felicidade, pureza, temperança, verdade, franqueza, formosura, integridade e

amizade, referindo a pureza do clima a das Águas, a integridade e os ideais dos

munícipes e ao clima de harmonia e cordialidade de que desfrutam;

O Manoel evoca o terreno acidentado do município e o Morro do Diabo, o

ponto culminante do município. A cor azul é representativo heráldico da Justiça,

formosura, doçura, nobreza, perseverança, zelo, lealdade, glória, firmeza

incorruptível e virtude, assinalando ainda as belezas naturais da região, os atributos

do povo ordeiro do município a ainda a conduta exemplar de seus administradores;

A cruz latina, também faz referência à profunda fé cristã do povo; as duas

faixetas ondadas, são símbolos da riqueza hidrográfica do município, em especial

aos importantíssimos cursos d'Água, os rios Paraná a Paranapanema, que banham

as terras municipais;

As flores de Liz são o emblema de Nossa Senhora padroeira do município;

O chefe (parte superior do escudo) de sinople (verde) simboliza a reserva

florestal do município, a preservação da natureza e a exuberância do reino vegetal,

e uma das riquezas da região; as estrelas significam luz nas trevas da noite, guia

seguro, aspiração e coisas superiores e a ações sublimes, ressalta o espírito do

povo, voltado não apenas para as coisas materiais, mas também para as conquistas

da cultura e da inteligência;

A coroa mural e o símbolo da emancipação política, e de prata com oito

torres, das quais apenas cinco estão aparentes, constitui a reserva da cidade; as

portas abertas indicam o caráter hospitaleiro do povo de Teodoro Sampaio a cor

goles (vermelho) por ser esta a cor que no Brasil representa o Direito e a Justiça,

está a afirmar que Teodoro Sampaio a cabeça de arca, e a dizer "dentro destas

portas encontrarei a Justiça";

As hastes de cana-de-açúcar e milho atestam a fertilidade das terras de

Teodoro Sampaio, e importantes produtos agrícolas da região e apontam as lidas do

campo a vocação precípua do município. No listel de sinople (verde), o topônimo

"Teodoro Sampaio", identifica o município.

 

 

 

Enviar esta notícia para um amigo

Reportar erro